quarta-feira, março 08, 2006

NÃO PODEMOS CONFUNDIR!!!

Uma coisa será: Direitos Próprios Inalienáveis; outra bem diferente será: Abuso de Direito que não se possui!

Hoje, 8 de Março de 2006, dia Internacional da Mulher, mais uma vez se presenciou as reivindicações das Mulheres (ainda têm de reivindicar Direitos plasmadas no Ordenamento Jurídico Divino), na defesa do que, por via de tal Direito, lhes é Sagrado, ou seja, sua natural e normal Igualdade, em tudo, ao Homem.

Tarda ao Homem reconhecer, e à Mulher viver, suas inequívocas Igualdades em Direitos, quaisquer que sejam seus níveis de vida e/ou estatuto social, posto que, a bem da Verdade, nem um nem o outro está ou deve estar acima de seu companheiro, seja, tal companheiro, ele ou ela.

Se à Política e à Religião – ambas se subsumem ou integram uma na outra sem, todavia, se confundirem – tardam em isto saber, compreender e apreender, só o podemos e devemos, ainda, lamentar!

Se a Mulher defende o que é seu por força natural, uma única atitude e acção devemos ter:

- Apoiá-la nessa sua legítima luta, reconhecendo-lhe, outorgando-lhe e garantindo-lhe o que nunca lhe devia ter sido negado: Igualdade Plena face ao Homem!

Mas, vir a Mulher, neste seu dia Internacional, misturando valores que jamais se podem caldear, reivindicar ter direito a poder abortar, como se o acto de abortar fosse um acto natural, ou, pior que isso, arguindo que tal prerrogativa se inscreve nos seus Direitos, fazendo parte, portanto, dessa sua igualdade e/ou liberdade, é… no mínimo, defender absurdos e comparar incomparáveis, juntando no mesmo saco o lícito com o crime.

Já aqui afirmámos que o único macho que viola a sua fêmea é, lamentavelmente, o Homem. Sim, isso não se verifica no reino animal menor, dito irracional.

Sabendo que não, parece que a mulher, ao defender teimosamente o absurdo do aborto, que apenas por ignorância pode confundir como sendo um de seus Direitos, deseja que o acto criminoso da violação continue a ser praticado, necessariamente, contra si.

Ou será que o Homem e a Mulher ainda não deram conta que a prática voluntária e normal de sexo, sem que ninguém seja objecto ou ‘coisa’ de outrem, é um acto humano-divino, que os une, ad infinitum, através da Energia que dele flui, a qual se necessita e se reconhece como sendo: AMOR!?

Façamos a necessária reflexão.

4 comentários:

sandra disse...

Caro Amigo

Uno-me às tuas palavras e meu pedido neste dia seria pequeno se comparado às tantas reinvindicações feitas mundo afora: respeito.

Abraços fraternais.

Dad disse...

Espero que, direitos, deveres e oportunidades iguais, acabem por ser aceites por todos, neste nosso mundo.
Um beijinho,

Guerreiro da Luz disse...

Caríssimas:
Quando o ser Humano souber, consciente e finalmente, que é um Espírito em caminhada evolutiva, que por Ser quem é, deve saber também de quem É FILHO... aí verá a enormidade dos erros praticados contra seu Irmão, dando conta, outrossim, que, afinal... contra si mesmo tem agido.
Só então poderá compreender, respeitar, cumprir e promover o cumprimento das Normas do Direito Divino-Celeste, por respeitar, na Terra, os três preceitos do Direito Romano, Lei com mais de 23 séculos de existêcnia, a saber:
- 1º Nunca abusar de seus Direitos;
- 2º Nunca prejudicar ninguém;
- 3º Atribuir sempre a cada um, o que lhe pertence.
Quando isto for Lei... no Coração do Ser Humano... nada lhe faltará para poder, também, dizer:
- Eu e o Pai SOMOS UM!

Mulher disse...

Enquanto houver necessidade de nós mulheres termos um dia dedicado a nós...quer dizer, que ainda teremos que caminhar muito, para que estejamos em pé de igualdade com o homem, senão seria bom que houvesse também um dia dedicado ao homem, ora como nunca houve, nem vai haver, quer dizer que os direitos e oportunidades...ainda continuam diferentes...para nós, EVAS!!!
Um abraço Guerreiro da Luz, e vamos esperar que este dia seja extinto rápidamente