domingo, fevereiro 19, 2006

IRMÃ LÚCIA...

QUESTÃO DE FACTO

Hoje, dia 19 de Fevereiro do ano de 2006, os restos mortais de nossa Irmã Lúcia, última vidente de Fátima a desencarnar, foram transladados, sob fortes medidas de segurança (?), do Carmelo de Santa Teresa de Coimbra para a Cova de Iria – Fátima, onde irão ficar sepultados no corpo da Basílica ali erigida em louvor e honra de nossa dulcíssima Mãe Maria de Nazaré, a quem, vulgarmente, se chama: Nossa Senhora.

Nada, terrenamente falando, se opõe a tal acto, pois que, nós, Espíritos Humanos – Homens e Mulheres encarnados –, devemos saber respeitar quem nos trouxe, traz, deu ou dá exemplos de Fraternidade, Amor e Paz, ao fim e ao cabo, quem nos ensinou e ensina caminhos que nos promovem a ascensão e levam, assim, a DEUS PAI, Todo-Poderoso.

Mas será que, em referência ou no que concerne a este evento, apesar do conhecimento e da fé que alguns já detêm, nos devemos situar, apenas, no terreno, no simplesmente físico-material que, todos sabemos, vira cadáver e tem de ser reintegrado na Mãe Natureza? Não! Absolutamente, não! Por isso, por força disso, vamos imediatamente para a Questão de Direito (Espiritual), que nos importa atender.

QUESTÃO DE DIREITO (ESPIRITUAL)

A nossa Irmã Lúcia, no dia, hora, minuto e segundo exactos, deixou de ser Mulher, passando a ser Espírito. Desencarnou de seu corpo físico feminino que lhe serviu de vestimenta terrena durante essa sua peregrinação terráquea que acabara de findar.

Antecedendo esse exacto momento, porém, muitas foram as Entidades Espirituais, entre elas, nossa dulcíssima Mãe Maria, que junto dela vieram em visita amorosamente fraternal e a acolheram nesse seu desencarne, a fim de, após isso, a poderem levar consigo para o Plano Espiritual de Vibrações de Luz e Paz onde ela, necessariamente, acordou e passou a viver.

Tendo esse Plano como sua residência Espiritual, dele irá fazer parte das hostes da Legião de Maria, desdobrando-se em trabalhos de auxílio aos mais carenciados – encarnados e desencarnados – de amor, cura e luz, nesse Santo Serviço que Deus Pai, por Jesus, o Cristo, dispensa, consoante seus méritos, a todos os de Boa-Vontade, titulares dessa Fé que já move montanhas.

No dia de seu desencarne grande foi o movimento de Espíritos de Luz junto de seu corpo, em ordem a poderem ajudá-la na sua desencarnação, todos bendizendo e louvando o facto dela se juntar, finalmente, a todos eles, por via de seu regresso a essa Morada/Casa/Plano de Deus Pai.

Os Homens e Mulheres terrenos – Espíritos Encarnados – olhavam, velavam e choravam a Saudade dessa nossa Irmã benfazeja, traduzida na factualidade do corpo cadáver, abandonado e frio, enquanto que a seu lado, na dimensão espiritual, se cantavam hossanas e se davam Graças a Deus por esta Irmã ser mais uma estrela a brilhar no Seu Firmamento de Paz e Amor.

Durante as exéquias e orações sacerdotais… ninguém ouviu, porém, falar disto… e foi pena!

Hoje, um ano e uma semana após essa data, translada-se para a Basílica de Fátima – facto que não comentamos – o que resta de seu corpo físico, mas… das Dimensões Superiores da Vida ninguém já virá… Pois que esta cerimónia não passa de simples cerimonial terráqueo, fruto da vontade dos Homens – que ninguém comenta –, nada tendo a ver com qualquer necessidade desta Irmã, ou, indo mais longe, nada tendo a ver com o que, hoje, se passa com ela, nessa Vida Superior.

Como devia ser de todos conhecido, o corpo físico de nossa Irmã Lúcia, como de todos em geral, terminou a sua tarefa no exacto momento em que o seu Espírito, que lhe deu vida e o fruiu, dele saiu pelo processo da desencarnação. A partir desse momento, perante qualquer falecimento, apenas um Ser, o Espírito, deve merecer toda a nossa efectiva preocupação e amor, em função do que supomos sejam suas necessidades. Se a entidade desencarnante – falecida –, for comummente julgada Ser de Luz, como é o caso de nossa Irmã Lúcia, uma Oração de Paz, Amor, Luz e Agradecimento lhe devemos enviar, rogando ao Senhor a ajude em sua desencarnação e a receba em Seu Coração, possibilitando-nos a nós, por sua intercessão, a misericórdia (ditos Milagres) que Lhe rogamos.

Por todos os que não forem julgados Seres de Luz, devemos, outrossim, orar e pedir Misericórdia, Paz e Luz, não apenas para a sua desencarnação, como também para e durante sua passagem pelo Umbral, por todo o seu processo de reabilitação clínica e futuro estágio, antes de sua volta, pela reencarnação.

Agora que a nossa Irmã Lúcia se encontra liberta de dogmas e clausuras terrenas, tudo o que se possa pedir e esperar desta Irmã, nomeadamente em situação de grande necessidade e aflição, deverá ser feito através de Orações bem sentidas e profundas a DEUS dirigidas, em nome de Cristo, evocando a intercessão desta Irmã, aguardando que tenhamos mérito par podermos beneficiar de tudo o que Lhe rogamos.

Se ao sepulcro desta nossa Irmã, bem como de seus primos, companheiros das lides pastorícias e das aparições nos idos de 1917: Francisco Marto e Jacinta Marto, formos em romagem de Amor e Saudade, apenas, orando, mentalmente, lhes devemos agradecer tudo o que, de seus Planos de Luz, nos possam enviar, por Deus e em Cristo Jesus.

Pense-se, ame-se e venere-se o Espírito, pois que a matéria é Pó e ao pó regressará… naturalmente!

Ficai em Paz!

3 comentários:

Manuela disse...

Completamente de acordo com o seu raciocinio e lógica espirita, Guerreiro da Luz...que todos os que estiveram hoje na Cova da Iria, tenham a percepção de que o que ali se passou, foi de somenos importância, para alguém que nesta hora, já se encontra numa situação bem mais tranquila e de paz, do que todas aquelas cerimónias demonstraram.
Por isso e fazendo minhas as suas palavras, esperemos que a Irmã Lucia, do lugar onde se encontra, nos ajude a caminhar e a fazer entender a todos, que a verdadeira vida começa, quando alçamos vôo para o NOSSO PAI CELESTE.
Bem haja,
Manuela

Dad disse...

Estou completamente de acordo consigo! Um abraço e uma semana cheia de luz para si!

Guerreiro da Luz disse...

Que a Luz preencha sempre vossas Almas e vossos Corações, rumo ao Amor e à Paz.

À Manuela e à Dad, minha gratidão fraternal, por seus incentivos.

A Verdade, Mãe de tudo o que é Natural... sempre esteve e estará bem à frente de cada rosto... bastando a cada um, para tanto... olhando a Vida, saber enchergá-la!

Lamentamos que haja tantos Irmãos que não conseguem percebê-la no seu dia-a-dia, apesar de ser tão simples e fácil...

Bastar-lhes-á abrirem seu coração à LUZ, pois que... "quando o aluno está pronto, o Mestre faz-se presente"!

Guerreiro da Luz